Numenera no Recinto

A Máquina dos Mortos - Parte 02

A Floresta Falsa

Sessão jogada em 29/04/2016

Após a derrota da lesma cancerígena inflamável, os dois exploradores e a exploradora continuaram seu caminho pelo deserto ciano. A viagem AINDA era longa, e com o passar do tempo eles encontraram outros acampamentos muito parecidos com aquele onde pararam para conversar com o mercador de cabelo artificial. Em um desses acampamentos, duas outras pessoas se aproximaram do grupo. Um deles era um velho companheiro de aventuras de um dos integrantes, e a outra, uma velha amiga do mesmo integrante. A gatuna disse que precisava de ajuda para encontrar um ente querido. O estudioso, só queria saber da putaria mesmo.

A viagem continuou, até que, novamente, algo desponta no horizonte – como na vez anterior, indo na direção do grupo. Três pessoas pilotavam uma centopéia peluda conhecida como Scutimorfo, e pararam perto do grupo para pedir ajuda. Aparentemente uma vila próxima estava sendo atacada por criaturas discóides que ficavam invisíveis. Enquanto o grupo discutia se deveria ajudar ou não, o nano estudioso decidiu verificar o estado de um dos estranhos que haviam chegado. Era uma garota, uma criança, e aparentava estar bastante debilitada. Mas ao tocar na criança, foi descoberto que estava fora de si, e a criatura montada perdeu o controle e atacou o grupo.

No meio do combate, a menina foi atingida por uma flecha, enquanto os outros dois estranhos, um rapaz mais velho e um garoto jovem, gritavam para que a luta parasse – o que não aconteceu. O grupo de exploradores e exploradoras acabou sendo obrigado a lidar com a centopéia descontrolado, continuando os questionamentos logo após.

Foi descoberto que eles vinham de uma vila dentro da floresta falsa. O scutimorfo é nativo daquela região, e por algum acaso a garota havia adoecido. Ela era o que os sacerdotes chamaram de mentalista, capaz de usar sua mente para fins além da imaginação, mas depois que ela adoeceu a vila começou a sofrer ataques das centopéias que moravam na floresta. Na tentativa de parar os ataques, o garoto e o tio deles acharam que seria uma boa ideia tirar a menina de lá, achando que os ataques iriam parar. Recebemos as instruções de como chegar na vila e partimos, enquanto o trio de fugitivos seguiria o caminho deles, com um novo objetivo.

A ida à vila teve algumas complicações, principalmente para a guerreira do grupo – que perdeu uma parte da armadura. A floresta falsa era, na verdade, estruturas cilíndricas com uma rede synth “viva” que permeava o topo de todos os cilindros. Conseguimos chegar na vila por cima, e descemos por um buraco que havia na rede. Mas não se passou muito tempo até que problemas surgissem novamente.

As criaturas discóides atacaram antes que pudéssemos interagir com os moradores da região. Os palones tem poderes de camuflagem, e atacaram de repente. Alguns do grupo sofreram mais danos, enquanto outros conseguiram se manter inteiros. Depois de derrotar as criaturas, conversamos com o ancião da vila, que nos convidou à sua casa para tomar uma xícara de café. No final das contas o grupo achou que os eventos estavam interligados à Máquina dos Mortos. Decidimos, então, cuidar logo disso – e rápido.

Comments

Sean, brocador! Ótimo reporte.

A Máquina dos Mortos - Parte 02
SeanWishart

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.